Engajamento: a palavra chave da “Era do Valor”

Giuliana Preziosi
(0 votes)

Desde 2011 um dos artigos da Harvard Business Review trazia o seguinte título “Meaning is the new Money” (Significado é a nova moeda) e até hoje vivemos o desafio de lidar com esse tal “significado” na prática. 

No entanto, muita gente já está investindo neste novo mercado. Grandes empresas perceberam que deveriam modificar radicalmente a sua comunicação para adentrar na Era do Valor. Slogans que antigamente evidenciavam os benefícios dos produtos foram trocados por frases que ressaltam os valores de cada Corporação. A geração millenium desafia as áreas de recursos humanos de qualquer empresa para criar ambientes de trabalho que se encaixem nos anseios e desejos de um público que busca encontrar seu propósito e sentido na vida.  O mundo interconectado onde todos têm voz e podem compartilhar suas opiniões faz com que diante da abundância de opções fique mais difícil tomar decisões, sendo necessária a busca por valores semelhantes aos seus.
É neste contexto que a palavra engajamento vem sendo constantemente utilizada por milhares de pessoas. “Precisamos engajar nossos colaboradores!”, diz o líder de uma grande Corporação. “Qual a quantidade de pessoas engajadas em nossas ações?”, diz o facilitador de uma ONG. “Engajamento da equipe é fundamental para o sucesso de nosso negócio” diz um jovem motivado com o surgimento de sua start up.  Ok, mas o que é engajamento?
Nunca vi tanta gente utilizando essa palavra, mas, quando se pergunta o que é isso, a maioria das respostas aparece de forma mais intuitiva. É comprar uma ideia, é jogar junto, é motivar, é envolver pessoas, etc. O dicionário traz definições básicas e até muito simplistas como “envolvimento a serviço de uma ideia ou de uma causa”. Já o verbo engajar é denominado como “ato de participar de modo voluntário para algum trabalho ou atividade”. Também é sinônimo do verbo “alistar” que aparece relacionado à prestação de serviço às forças armadas. Etimologicamente, o termo engajar se originou a partir do francês engager, que significa “dar em garantia”, “empenhar” ou “dar como caução”. Porém, todas as definições sugerem uma adesão voluntária ou até uma ligação afetiva dentro de um contexto maior, que pode ser uma causa, atividade ou um local.
Ao comparamos as descrições trazidas pelos dicionários, entre as características do mundo em que vivemos e a maneira em que a palavra é aplicada em diferentes contextos parece haver um enorme gap. E com isso surge também a necessidade de redefinir o conceito.
Para isso vale uma reflexão, porque engajar?
Buscamos engajamento para atrair pessoas aos nossos projetos, para conseguirmos apoio de terceiros visando viabilizar nossas ações, para termos um time motivado que luta por objetivos em comum, para colocar em prática nossas ideias, para aumentar a participação em determinado local ou iniciativa, para difundir a cultura empresarial de uma empresa, para compartilhar objetivos, para mobilizar pessoas em prol de uma causa, para transformar realidades, para fazer novos negócios, para criar oportunidades, para inovar, enfim... Quando a gente quer engajar alguém queremos que aquela pessoa compre a nossa ideia e embarque em uma jornada conosco para viabilizá-la. Saber fazer isso pode ser uma ferramenta poderosa em qualquer tipo de organização.  
Engajar é oferecer valor alinhando objetivos para colocar uma ideia em prática. Numa era de intensa concorrência de ideias e imersa à pluralidade de informações do dia a dia, a principal forma de conquistar as pessoas está intimamente relacionada ao que elas acreditam, ou seja, aos seus valores.
O desafio de qualquer empresa é encontrar funcionários que acreditem em seus valores corporativos. O desafio de um líder é fazer com que sua equipe enxergue valor nas suas atividades. O desafio de uma ONG é valorizar seus projetos para buscar apoio para viabilizá-los. O desafio de um empreendedor é mostrar o valor de sua ideia, seu produto ou serviço.
É por isso que saber engajar pessoas virou a habilidade mais importante para qualquer pessoa que quer ter sucesso em sua carreira profissional e até na vida pessoal também. Como fazer isso? Como encontrar esses valores? Quatro fatores são essenciais:
Relevância
Ouvir verdadeiramente. Quando de fato estamos dispostos a ouvir o outro conseguimos entender a forma como ele pensa e descobrir o que é relevante para ele.
Significado
Toda ideia, ação ou projeto deve ter um porquê, um objetivo. E isto tem que ser compartilhado e às vezes construído por todos os envolvidos.
Sentido
Entender o contexto é fundamental antes de um processo de engajamento. Tenho que compreender como meu projeto se adapta a realidade das pessoas que quero engajar. Se não fizer sentido para elas naquele momento, elas não terão motivos para se engajarem.
Pertencimento
Sem construção coletiva não existe engajamento. As pessoas devem se sentir parte da ideia, do projeto, da ação, além de atuar de forma participativa.
São fatores simples mas a grande maioria das pessoas ainda prefere agir de forma mais intuitiva e as vezes vazia. Te convido a fazer um teste e começar a pensar nestes quatro elementos dentro de um processo de engajamento estruturado. Já adianto, muita coisa vai te surpreender.

Por Giuliana Preziosi
Escritora, consultora e palestrante.
Para saber mais acesse: www.giulianapreziosi.com.br

726 times